Benefícios da natação






Com quatro medalhas de ouro, o Brasil garantiu, em julho de 2011, sua melhor participação em mundiais de natação. O resultado poderia ser ainda melhor se fosse mais comum, no país, a prática sistemática desse esporte. Es benefícios não apareciam apenas nas competições, mas na saúde dos brasileiros, pois, para muitos especialistas, trata-se da atividade física mais completa.

O ortopedista Ricardo Cury, professor da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo, compara a natação com outros esportes para destacar as vantagens da prática nas piscinas. No tênis, por exemplo, há uma exigência maior dos membros superiores, especialmente do braço com o qual o atleta segura a raquete. No futebol, o esforço se concentra nos membros inferiores. A corrida, por sua vez, trabalha bastante a parte aeróbica, enquanto a musculação, como o próprio nome diz, atua sobre a musculatura. "A natação tem uma exigência global, juntando tudo isso em uma única atividade: ela distribui bem os esforços entre todos os membros, tem um trabalho aeróbico importante e ainda desenvolve os músculos", afirma Cury.

Outro ponto positivo é a baixa incidência de lesões, por não ser um esporte de contato. Além disso, por ser praticada na água, as articulações não sofrem desgaste com o impacto no solo, como ocorre no vôlei, por exemplo.

Somadas, todas essas vantagens contribuem para a prevenção de inúmeras doenças. "A melhora na parte aeróbica é importante do ponto de vista cardiovascular. O nadador ainda perde peso e regula melhor sua pressão e o sono, diminuindo as chances de ter um AVC [acidente vascular cerebral] ou diabetes", enumera Cury, que é presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho.

A natação também ajuda a oxigenar todos os tecidos do organismo, inclusive o cérebro, o que tende a diminuir os riscos de males como o Alzheimer. Sua prática traz ainda benefícios estéticos, desenvolvendo o tórax do nadador, e conta com um bom índice de queima calórica (chega a 600 cal/ hora). Sem falar na sensação de bem-estar, como em qualquer esforço físico, causada pela liberação de endorfina.

Também como em qualquer atividade física, é recomendável fazer aquecimento antes de exercitarse, para diminuir ainda mais a possibilidade de surgir algum problema.

Encontre seu estilo

Antes de se aventurar pelas piscinas, é importante saber qual estilo de nado é a sua cara: livre, costas, peito ou borboleta. Cury afirma que qualquer um deles atende às necessidade do organismo, desde que a prática seja de pelo menos 30 minutos e três vezes por semana. Porém, há entre esses tipos pequenas diferenças em relação aos grupos musculares mais exigidos.

O estilo peito requer esforço um pouco maior da região do tórax, enquanto o nado de costas trabalha melhor a parte dorsal e os ombros. Já as pernas são mais usadas na prática dos estilos livre e borboleta. Em relação ao gasto calórico, costa e borboleta levam ligeira vantagem.

No entanto, o especialista avalia que as diferenças são pequenas, e não há necessidade de variar entre eles para executar uma atividade mais completa. "Você pode selecionar aquele tipo que mais lhe agrada e focar nele, pois apenas o fato de a pessoa nadar já é um ótimo exercício."



Comente:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.